em Na Mídia

por Aline Macedo – Extra, Extra! (Extra)

A CPI dos Ônibus da Câmara, que ainda nem terminou, mas já começou a exalar o característico cheiro de pizza, vai realizar sua última sessão nesta segunda-feira (02).

E vai votar o relatório final, preparado pelo vereador Rocal (PTB) sem ter conseguido ouvir um único empresário do setor.

Aliás, na última reunião, no dia 22, o presidente da RioÔnibus, Cláudio Callak, faltou à convocação, alegando problemas na agenda e falta de tempo hábil para enviar representante.

Mas não é que, quietinho na plateia, estava o advogado Mário Eduardo Macêdo, do escritório Santiago e Pimentel, que presta assessoria jurídica aos consórcios?

E o moço não é nenhum desconhecido no velho Palácio Pedro Ernesto.

Desde novembro do ano passado, ele tem batido ponto na sede do legislativo carioca. Das 16 visitas registradas pela recepção, oito foram em dias em que a comissão se reuniu.

Em todas as outras, sem exceção, a entrada dele foi liberada… pelo gabinete de Alexandre Isquierdo (DEM), presidente da CPI.

Inclusive nas duas ocasiões em que não houve reunião da comissão por falta de quórum, em dezembro e em fevereiro.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar