em Direto da CPI

A CPI dos Ônibus está, nesta manhã, no Ministério Público Federal, reunida com a força-tarefa da operação Ponto Final, da Lava-Jato no Rio de Janeiro, para trocar informações sobre as investigações sobre o sistema de transporte do Rio.

Na sessão de ontem, terça-feira (13), a comissão aprovou o pedido feito por Tarcísio Motta (Psol) de recomendar à prefeitura que não haja nenhum reajuste da passagem de ônibus antes do término da CPI. Foram interrogados, na mesma sessão, Ronaldo Valiño, sócio-diretor da empresa PwC, que foi contratada para calcular o valor da tarifa, e o secretário de Transportes, Rubens Teixeira.

Durante seu depoimento, Valiño explicou que a equipe de técnicos da PwC ainda não trabalhou no cálculo da tarifa atual porque a prefeitura ainda não pagou o valor referente ao aditivo contratual feito neste ano, no valor de R$ 2.501.000. Disse ainda que os pesquisadores chegaram à conclusão de que o valor da passagem deveria ser de R$ 3,38 em dezembro de 2015. O valor foi calculado a partir de analogias, já que nenhum dado informado pelas empresas de ônibus foi auditado.

Além de Tarcísio Motta, a CPI dos ônibus é composta por: Alexandre Isquierdo (DEM). Rocal (PTB), Dr. Jairinho (licenciado do PMDB) e Eliseu Kessler (PSD).

Saiba os próximos passos da CPI:

14/03 – Reunião da CPI com o procurador da República Felipe Bogado, da força-tarefa da Lava-Jato no Rio de Janeiro
20/03 – Interrogatório de Cláudio Callak, presidente do Rio Ônibus, e apresentação da perícia técnica
27/03 – Entrega do relatório final
02/04 – Votação do relatório final

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar